31 de outubro de 2008

Prisioneiro do Coração

Toda vez que me perco, me encontro pensando em ti
Assim, depois de tantos anos... ainda não consegui me desfazer de tudo que senti
Talvez fosse melhor brigar antes de ir , magoar pensando no futuro
"Te faço mal agora para não sofreres no tempo que há de vir..."
Partir assim, levando tudo que tinha de mim, foi pura maldade
Coração partido esquece tudo com muito mais facilidade
Quanta insanidade do destino... difícil de superar
Mesmo depois de ter amado a outras e de saber que a outros tem amado
É com teu rosto que eu sonho, é no teu corpo que me imagino enroscado
Sem nem ao menos saber se ainda és do modo como te vejo
Se ainda tens as mesmas manias, os mesmos desejos
Sei que se nos encontrássemos um dia, não seria tudo igual
Talvez até nem desse certo, o que seria bem natural
Mas sei que a partir disto, meu mundo se transformaria
Ou te teria novamente, ou finalmente, livre eu seguiria...

3 comentários:

A Outra disse...

e quem já não pensou ou passou por isso que atire a primeira pedra.

são os "ses" da vida.

lindo!

bjsss

Flávia B. disse...

Existe coisa que nos acorrente mais do que um 'se'?

Beijos, moço :)

Anônimo disse...

Nunca imaginei que apenas palavras pudessem nos transportar para um tempo em que ja não existe mais, mas que ainda se encontram bem guardadas dentro de nós!