11 de setembro de 2008

Inimigo Íntimo

Meu maior inimigo certamente sou eu mesmo

Eu e meu grande, imenso ego

Que me impede muitas vezes de ir além

Ele fica me rondando, perseguindo

Carregando várias fotos consigo

Numa espécie bizarra de mural

Estas fotos são de fatos ocorridos

Fantasmas do passado

Que não soube superar...

Quando esqueço por instantes

E rumo novamente na mesma direção

Ele flutua na minha frente

Esfregando na minha cara as lembranças do passado

Me arremessa de volta para onde eu estava

No mesmo canto escuro sem saber a direção

E sai todo orgulhoso

Com um sorriso tenebroso

De quem cumpriu sua missão

3 comentários:

A Outra disse...

ah, querido, isso acontece com todo mundo.
que atirem a primeira pedra...

uma hora você aprende e ignorá-lo.

bjsss

larissantiago disse...

ouví-lo as vezes é o melhor remédio...

;)

Kiara Guedes disse...

tenho que concordar, então, que devemos ficar proxinmos o máximo de nossos inimigos, nós... Abraços