6 de agosto de 2008

Pela frente

Não sei qual o meu caminho
Se é de flores ou de espinhos
Mas não quero ficar a pensar
Só quero seguir em frente
Sem essa eterna obrigação
De estar sempre contente
Quero cair e chorar...
Sorrir e levantar...

5 comentários:

Celine disse...

que fofinho!!!
Vai seguindo...se preocupa, agora nao

lorena lago disse...

"Não sei qual o meu caminho
Se é de flores ou de espinhos."

adorei isso!!
é a vida tem que ser levada assim mesmo,não funciona mt isso de ficar melimetrando o que se deve fazer e tudo mais,tem que ser sincero com a vida,levar ela verdadeiramente,sendo momentos ruins ou bons,não importam,a final a vida seria sem graça se tudo fosse tão simples e facil!=]

Rafael disse...

Delírio do Cotidiano e o poema nosso de cada dia. Valeu, Rica, por nos trazer poesia nesse mundo cada vez mais bruto.

LAPOR disse...

aló, eu também gostei mt da poesia. Aproveito prá cumprimentar de novo porque só agora é que reparei os nossos barcos estao em diferentes tempos e as ondas enganaram-me: teu post de "Tropa de élite", como é lógico, foi hà já muito tempo...! Um praçer, aparecerei às vezes, cmoo marinheia voluntária, pode ser?

Aline T.H. disse...

Eu gostei mais das últimas duas estrofes. Mas é lindo mesmo =)

Beijoca.