26 de novembro de 2007

Alma penada

Ontem caminhei por tudo
Por todas as calçadas esparramadas
Pelas ruas entrelaçadas
Pelos parques ainda molhados pela chuva matinal
Andava procurando algo
Alguma coisa que mudasse o dia
Que fizesse o sol romper as nuvens com raios de alegria
Passei por milhares de rostos
Diferentes formas, diferentes gostos
Mas não encontrei o que procurava
Apenas andei
Como alma penada
Do meio da tarde até o cair da fria madrugada

2 comentários:

A Outra disse...

voltou para casa?
boa semana.
bjs!

Celine disse...

Alguem sensivel, viu a alma.
E no frio da madrugada deve ter aquecido penada com boas energias.