7 de março de 2007

Delírio noturno

O sono vai vencendo, os olhos se fechando e o pescoço não sustenta mais tão firmemente a cabeça.
A luta é inevitável mas a derrota é iminente.
O tom de voz constante e calmo do orador vai ficando cada vez mais longe.
Quando vejo estou caminhando por um lindo campo verde em um dia ensolarado.
Adiante, à sombra de algumas árvores, vejo as pessoas que gosto reunidas festejando a vida.
Me aproximo e me junto a todos em um clima de paz e harmonia.
Ao fundo ouço uma voz insistentemente chamar pelo meu nome.
A voz vai aumentando de intensidade e num piscar de olhos estou de volta a mesma sala que estava antes, agora quase vazia e com um colega em pé ao meu lado avisando que a aula acabou.
Levanto-me calmamente e vou ao banheiro lavar o rosto, afinal ainda tem mais uma aula pela frente, estou apenas no intervalo, e desta vez vou tentar me manter acordado.
Mas se por acaso eu não conseguir, quero ir lá encontrar com o pessoal novamente.

Quem sabe não nos encontramos lá!

Um comentário:

Wesz disse...

Hehehe, impressionante como a gente sonha em poucos minutos.